Paris é uma das cidades mais caras do mundo, e ainda assim, uma das mais visitadas; claro que muita gente amaria ir para lá, mas ainda não conseguiu realizar esse sonho com medo dos altos valores praticados pela cidade.

Mas calma. Estamos aqui para te mostrar que é possível sim planejar uma viagem para Paris sem gastar muito. Vamos tirar do papel esse sonho?

Passagem aérea

A companhia aérea que voa direto para Paris é a Air France, e já esclarecendo, é uma das mais caras. Em compensação, a empresa parceira da Air France, a KLM, oferece passagens promocionais com frequência, além de possuir valores em conta para a Europa normalmente. Esse mês (estamos em julho/2016), a Swiss Air e a TAP Portugal fizeram uma promoção que durou bastante, com passagens para vários destinos da Europa, incluindo a cidade luz, por R$1.850. Conclusão importante: pesquise muito! Crie alertas e entre em buscadores de passagens todos os dias para rastrear as datas da sua viagem. É mais provável que você consiga comprar uma passagem em conta do que uma passagem caríssima. E dica importante: quanto mais longe da data da sua viagem, mais cara a passagem fica. Espere uns 5 meses antes (se você for corajoso (a) vida loka, espere menos) para comprar. Por exemplo, enquanto escrevo esse post, as passagens mais baratas para Paris são em novembro, daqui a quatro meses.

Transporte aeroporto/Centro

Não se assustem achando que vai ficar perdido quando descer no terminal do aeroporto em Paris e vai precisar pagar caríssimo (sério, muito caro) para ir de táxi até sua hospedagem, porque Paris é muito bem servido de transporte saindo de seus dois aeroportos: Charle de Gaulle e Orly.

Do Charle de Gaulle para o centro de Paris:

  • Trem RER B, com estação dentro do aeroporto, é só seguir as placas que dizem RER B Paris By Train. O valor do bilhete é €10 e te dá direito de continuar no metrô; você pode comprá-lo na própria estação, nos terminais eletrônicos. As estações servidas pelo trem que integram ao metrô são: Gare du Nord (conexão com linhas 2, 4 e 5 do metrô), Châtelet-Les Halles (linhas 1, 4, 7, 11 e 14), St.-Michel-Notre-Dame (linhas 4 e 10), Luxembourg, Port-Royal e Denfert-Rochereau (linhas 4 e 6).

  • Você pode também reservar uma passagem no EasyBus. Ele sai do Terminal 2F, saída 5 e deixa no Palais Royal, pertinho do Louvre; a estação de metrô mais próxima é Palais Royal/Musée du Louvre. O preço médio é de €4, mas o valor depende do horário que você agenda, e pode ser reservado antecipadamente (mais barato) ou pode comprar o ticket no balcão de informação no aeroporto. NÃO pode comprar com os motoristas.

  • Por fim, você pode optar pelo Roissy Bus, que parte dos terminais 2A-2C, 2E-2F, 2B-2D, 3 e 1. Ele para em frente ao Palais Garnier, do lado da estação de metrô Opéra. Custa €11 e pode comprar o bilhete nos terminais eletrônicos perto de onde saem os ônibus.

Do Orly para o centro de Paris, existem x opções:

  • Trem RER B – Em Orly, a estação do RER B não está dentro do aeroporto como no CDG. Para chegar até a estação, você vai pegar o Orlyval, um metro que faz a ligação dos dois terminais de Orly à estação do RER. Orlyval+RER: €12,05. O Orlyval te leva até a estação Antony, e de lá para o centro de Paris, a viagem dura cerca de 30 minutos;

  • Orlybus – ônibus direto de Orly até a Praça Denfert – Rochereau em Paris, com estação de metrô na Praça mesmo, servido pelas linhas 4 e 6. Dura 30 minutos e custa €7,70 por pessoa.

  • Ônibus da Air France – Saem de Orly Oeste, porte C, andar das chegadas e Orly Sul, Porte L, andar das chegadas e param nos seguintes lugares em Paris: Gare Montparnasse, na rue do Commandant Mouchotte; nos Invalides, na rue Esnault Pelterie e no Arco do Triunfo, no início da Avenue Carnot. Custa €12,50.

Hospedagem

Difícil, mas não impossível. Informação importante: alguns hostels saem mais caro que hotel e AirBnb. Expanda suas possibilidades. Tente o couchsurfing em primeiro lugar; a vantagem de não pagar por hospedagem torna-se pequena diante do que o CS oferece, como conviver com um local disposto a te dar dicas valiosas sobre a cidade;
Se dividir seu espaço pessoal com desconhecidos não é sua praia, anote aí:

  • Não se prenda a ficar hospedado em Paris. As cidades ao redor são muito mais baratas, e se tem metrô por perto, não tem erro.
  • Tratando-se de quarto privado: AirBnb é mais barato que hotel. Hotel é mais barato que hostel (em sua maioria). Hostel é melhor que as duas opções informadas.

Dito isso, claro que se você prefere companhia com espírito aventureiro, pagar o hostel vale a pena (e eles costumam ser bem maneiros por lá, também), mas se só quiser uma cama para cair, vá de AirBnb. Procure com afinco, vá até as últimas páginas da sua pesquisa. De vez em quando, a sorte bate na porta e acha-se algo bom, bonito e barato. Se não se importar em dormir em quarto compartilhado, você acha hostel em conta sim.

Alimentação

Quem disse que não existe PF em Paris? Só que lá se chama plat du jour! No almoço ou janta, procure por restaurantes que tenham uma plaquinha tipo essa na frente:

E fique atento principalmente ao preço! Essa opção de refeição inclui, geralmente, entrada + prato principal, ou prato principal + sobremesa; as vezes, acha-se até mesmo com as três opções incluso no mesmo preço! E socorro, as vezes tem até bebida!
O preço aí da foto é real, já passei em um restaurante na Rue d'Arcole (a rua do lado da Catedra de Notre Dame, ou seja, BEM turística) com o plat du jour a €9.

Mas se você quer comer bem rapidinho para continuar seu dia batendo perna, você pode entrar no Monop ou Daily Monop, que é uma linha de mercados expressos do Monoprix, onde você encontra diversas opções de comidas prontas, um microondas e umas mesinhas. Pagou, esquentou, comeu, de volta à rua!

Juntando o útil ao agradável, você pode comprar vários aperitivos, muitos queijos e vinho, pegar sua canga, estender nos parques e ta-da, fazer um piquenique, prática normal do francês.
Dica: Monoprix é mais barato que Carrefour.

Onde você está hospedado tem microondas? Passe na Picard, uma rede de lojas que vendem comida congelada, compre seu prato e jante em casa.

E por fim, você pode ir até um restaurante universitário (não precisa nem ser estudante) e comer uma refeição completa por €3,25, isso mesmo, você não leu errado. A lista dos restaurantes você encontra aqui.

As desculpas para visitar Paris estão acabando? Não?

Alguns museus tem entrada gratuita no primeiro domingo do mês, vejam quais são:

  • Orangerie
  • Musée des Arts et Métiers
  • Musée du Louvre (apenas de outubro a março)
  • Centre Pompidou
  • Musée Picasso
  • Musée du Moyen Âge – Thermes de Cluny
  • Musée Rodin
  • Musée d’Orsay
  • Musée du Quai Branly
  • Musée de la Chasse et de la Nature
  • Cité de l’Architecture et du Patrimoine
  • Musée Guimet

E por último, mas não menos importante, saiba que flanar por Paris é obrigatório e extremamente prazeroso; andar pelas ruas parisienses, ter uma vista surpresa da torre a cada esquina que você vira, sentir o cheiro do café na rua; o mais incrível da cidade é a cidade em si, não só suas atrações! Quer ler um relato sobre Paris pelos olhos de uma apaixonada? Clique aqui!

Muita informação e não sabe por onde começar?

E além disso, quer um roteiro pensando em você para a cidade luz, não deixa de entrar em contato com a gente através Planejador.